Constelações Sistêmicas: Familiares e Organizacionais


A Constelação Sistêmica é um processo terapêutico breve desenvolvido pelo filósofo, teólogo e terapeuta alemão Bert Hellinger. Esta terapia também é conhecida como Constelação Familiar, que trata do indivíduo em seu sistema familiar, ou ainda como Constelação Organizacional, quando aplicada como ferramenta de consultoria, diagnóstico e resolução de questões com o foco empresarial.

Ao longo de mais de 30 anos de estudos e através de seu trabalho em diversas abordagens terapêuticas diferentes, Hellinger observou padrões de comportamento que se repetiam em famílias e grupos familiares ao longo de gerações. Além disso, constatou que vários problemas, dificuldades e doenças estavam ligados às dinâmicas inconscientes presentes nos grupos familiares.

Hellinger partiu da compreensão de que todo indivíduo está ligado a um sistema familiar, uma rede complexa de relacionamentos de onde recebemos e transmitimos emoções, comportamentos e crenças. Ao observar as relações e interações dos elementos de sistemas familiares, constatou que existem três “ordens” que norteiam o comportamento humano em seus sistemas. Estas ordens, chamadas por Bert Hellinger de “Ordens do Amor”, atuam inconscientemente nos membros de grupos familiares e outros sistemas como princípios norteadores.

As Ordens do Amor de Bert Hellinger

Pertencimento

Este princípio determina que todos tem o direito de pertencer. O direito de pertencimento independe de julgamentos morais ou preferências. O pertencimento é observado como um fato que não está sujeito às opiniões ou mesmo ao conhecimento da existência de um membro do sistema.

Equilíbrio

Para que uma relação tenha continuidade de forma saudável e harmoniosa, é necessário observar o equilíbrio entre o dar e o tomar. A maneira de manter o equilíbrio em um relacionamento também é determinada pela hierarquia e o tipo de vínculo: pais e filhos, irmãos, sócios, empregador e funcionários, etc.

Hierarquia

Este princípio determina que cada um possui o seu lugar apropriado. Ocupar o seu lugar de direito dentro do sistema (familiar ou organizacional), reconhecendo e aceitando as posições dos demais, contribui para a harmonia das relações.

Eventuais desequilíbrios nestas ordens podem ser observados de diversas maneiras. Por exemplo, quando ocorre uma exclusão de algum membro do sistema familiar. Neste tipo de situação, é comum observar uma certa “tensão” no sistema familiar. O próprio sistema tentará se manter equilibrado através de alguma compensação. Assim, algum outro elemento do sistema poderá apresentar este desequilíbrio inconscientemente e isso pode acontecer de formas variadas: problemas de relacionamento, depressão, doenças e dificuldades financeiras podem estar ligados à desequilíbrios transgeracionais, ou seja que se repetem através das gerações, e podem ser trabalhados através das constelações.

Sistemas Familiares

O que significam os termos “Constelações” e “Sistêmicas”?

O termo “Constelação” foi traduzido a partir da palavra alemã Aufstellung. De maneira prática, esse termo também pode ser entendido como colocação, disposição, configuração ou representação de elementos de um sistema.

O termo “Sistêmico” indica o foco do trabalho: orientado a sistemas (ou grupos) familiares e organizacionais e faz referência ao pensamento sistêmico, um dos alicerces desta técnica terapêutica. Este pensamento é uma abordagem de realidade que entende um indivíduo através das redes de relacionamentos formadas entre os elementos dos grupos aos quais pertence. A visão sistêmica olha para o todo e considera que as relações entre elementos de um sistema fazem emergir uma complexidade maior de dinâmicas e interações que não podem ser descrita apenas em termos das partes que o constituem.

Constelações em grupo ou individuais?

Originalmente, as Constelações Familiares foram concebidas por Bert Hellinger como um processo facilitado em grupos terapêuticos.

Desta forma, o cliente escolhe, dentre os presentes no grupo, representantes para elementos relacionados com o seu tema. «saiba mais sobre a participação dos representantes na constelação»

O processo se dá, a partir da observação dos movimentos dos representantes que ocorrem de forma espontânea e revelam as dinâmicas inconscientes do sistema do cliente. Ao harmonizar as conexões e relacionamentos, é possível então, encontrar um caminho de solução para o tema trazido.

Ao observar a eficácia das terapias de constelação feitas em grupos, foram desenvolvidos diferentes processos de constelação individual.

A constelação com bonecos tornou-se uma solução para aqueles que não possuem disponibilidade do trabalho em grupo ou aqueles que preferem trabalhar seus temas de forma mais particular. Outro elemento bastante utilizado são as âncoras de solo, que permitem ao cliente se colocar sobre cada um dos elementos e aprofundar suas impressões durante o processo.

De acordo com a questão trazida, é possível que o terapeuta recomende uma constelação facilitada no grupo terapêutico. Em caso de dúvidas, você pode entrar em contato para verificamos qual a abordagem mais indicada para o processo.

 

Encontros do Grupo Terapêutico

Saiba mais sobre os encontros de constelação em Curitiba.

Setembro

sab23set09:00Grupo de Constelações Sistêmicas em CuritibaConstelações Familiares, Organizacionais e de Saúde09:00 Salão Clínica Amigos de Luz, R. Lívio Moreira, 583 | São Lourenço | Curitiba - PR

 
Uma árvore não pode escolher onde cresce. No entanto, o lugar onde a semente caiu é o lugar certo para aquela árvore.

O mesmo vale para nós. O lugar onde estão os nossos pais é o único possível para cada um de nós e, portanto, o lugar certo. Bert Hellinger

Bert Hellinger - Constelações Familiares

Sobre Bert Hellinger

Anton “Suitbert” (Bert) Hellinger, nascido em Leimen, Alemanha, em 18 de dezembro de 1925, formou-se como filósofo, teólogo e pedagogo e trabalhou durante 16 anos como membro de uma ordem missionária católica entre os zulus na África do Sul. Sua formação e atividade terapêutica envolveu diversas abordagens: psicanálise, dinâmica de grupos, terapia primal, análise do script, hipnoterapia e finalmente a terapia familiar, a partir da qual desenvolveu seu método revolucionário das constelações sistêmicas, aplicadas também a questões empresariais e a conflitos étnicos.